terça-feira, 27 de setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Proud S.



Estou orgulhosa.

Ignorei-te e não me senti mal. Senti-me bem. Porque custou-me menos do que esperava. Ou não esperava. Mesmo que não saibas.

É bom sinal. Muito bom. É sinal que segui em frente e já não olho para trás.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Multitask



Faz uma confusão desgraçada à minha mãe que consiga estudar e ouvir música. E ao mesmo tempo cantar enquanto escrevinho, e mandar sms’s…

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Diário de bordo



Finalmente cheguei. Por pouco perdia o avião por estar na conversa com o meu afilhado que já não via há quase dois anos mas lá consegui.

Mas comecemos pelo início.

Chegada ao aeroporto cedo consegui arranjar estacionamento no parque gratuito. Era um bom presságio. Certo que é longe “pa burro” mas a mala tem rodinhas e ia bem levezinha. Um bom exercício nunca fez mal a ninguém.

O moço do atendimento declama logo o meu nome ainda não estou bem a chegar ao check-in. Pensei que devo ser mais famosa do que pensava e tenho o avião só para mim visto estar adiantada na hora ou então ou então ele andou a investigar. Ao menos não me falou em inglês e mal tirou os olhos do ecrã.

Encontro a boss na sala de embarque e a primeira coisa que me diz é que há possibilidade de haver boas notícias brevemente. Boa!!!

Viagem tranquila com o olhos na revista e no livro de receitas para microondas que veio como complemento e nos deixou com água na boca.

Aterragem brusca mas nada de especial. Retiro a mala do tapete e vejo que ma partiram. Reclamação. Vamos ver se me dão a totalidade porque nem 6 meses tem de vida e custou-me os olhos da cara.

Consultas até tarde. Jantar tardio. Conversas até tarde enquanto se tentava ver um filme.
No sábado dia inteirinho de consultas e mais uma vez jantar bem tardio. E sendo Saturday night tínhamos que descontrair. A boss manda nós vamos. Muita conversa, música ao vivo, karaoke, encontros com conhecidos desconhecidos, relembrar as festas do passado, boleia a uns moços que ficaram sem gasolina… A repetir.

Domingo. Consultas de tarde mas muito recompensadoras. Também fui consultada e passei com alguma distinção. Passeio muito agradável a descobrir ou revisitar lugares recônditos. Jantarzinho acolhedor com muita conversa com o colega de lá. Serão em casa. Conversa divertida, desdém do filme rebuscado, histórias… Ele trabalha na segunda-feira, nós não, 4 da manhã é uma boa hora para ir dormir...

Dia seguinte. Para nós era domingo. Acordámos tarde. Tomámos o pequeno-almoço à hora do almoço. Dormitámos enquanto esperámos pela hora do voo. Fizemos escala e resolvemos conhecer o lugar. Passeámos à beira-mar, vimos lojas, o meu afilhado chegou. Tentámos colocar a conversa em dia mas o tempo era restrito. Chegámos ao aeroporto e o meu nome estava a ser chamado para embarque imediato. Corri e a miúda à minha frente apitava no detector de metais. Tive que pedir para passar à frente. Mesmo de filme. Continuei a corrida pela sala de embarque deserta, era mesmo a última para aquele voo. Afinal mesmo com relógio não acerto nas horas. Mal apertei o cinto senti o meu coração aos pulos mas tinha uma boa sensação, de adrenalina.

Rescaldo: uma boss que há poucas, amigo novo, descontracção no meio da responsabilidade… Dias muito bons, muito bem passados.