quinta-feira, 31 de maio de 2012

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Telenovelas



Eu e a minha mãe somos o oposto.

Eu: começo a ver uma novela do início. Tento sempre ver o primeiro episódio, ficar a par da história. Depois aborreço-me facilmente e ao fim da primeira semana já estou farta da saga e desisto.

Ela: nunca vê o primeiro episódio de uma novela. Normalmente só começa a ver passada uma semana. Depois, para se por ao corrente da história, passa a vida a questionar-me. E não perde um episódio, fica chateada se começa mais cedo, sempre fiél. E demora sempre alguns tempos a tentar reconverter-me.


segunda-feira, 28 de maio de 2012

Felicidade



“(…) as pessoas tendem a pensar que a felicidade é um golpe de sorte, algo que talvez desça sobre nós como o bom tempo se formos suficientemente afortunados. Mas não é assim que a felicidade funciona. A felicidade é a consequência do esforço pessoal. Lutamos por ela, procuramo-la arduamente, insistimos nela e às vezes até viajamos pelo mundo fora à sua procura. Temos de participar infatigavelmente nas manifestações das nossas próprias bênçãos. E quando atingimos um estado de felicidade, nunca devemos descurar a sua manutenção, temos de fazer um esforço supremo para continuar a nadar eternamente na sua direcção, para ficarmos a flutuar sobre ela. Se não o fizermos, o nosso contentamento inato ir-se-á esvaindo. É fácil rezar quando estamos aflitos, mas continuar a rezar mesmo depois da crise ter passado é como um processo de confirmação que ajuda a nossa alma a agarrar-se firmemente aos seus feitos.”

Elizabeth Gilbert in “Comer, Orar, Amar”

sábado, 26 de maio de 2012

Ensaio Português



Já não via um jogo da selecção há muito tempo.

É o único futebol que gosto de estar a par mas confesso que perdi os últimos jogos de preparação.

Hoje fiz questão de ver.

Apesar de bem paradinho está a servir para saber que o “nosso” primeiro jogo a sério é com a Alemanha. E que jogo que vai ser! Adoro os alemães e estou à espera de um grande jogo! Para recordar como a Inglaterra e a Holanda no Euro 2004 que ainda me assolam alguns flashes.

Vi pela primeira vez o equipamento “alternativo” e adoro! Bonitinhos meus senhores, aprovado! Os penteados é que estão um bocadinho estranhos. Então o ciganito está careca? Confesso que não está mal ao contrário do indomável do Bruno Alves.

Ainda agora estamos a meio e capitão da Macedónia já me está a irritar. Não é bom sinal para si, meu caro. Normalmente o meu ódiozinho de estimação tem mau presságio.

O Ronaldinho ainda anda a acertar a pontaria e de cada vez que falha faz aquele sorrisinho de “sou tão bom”. Já te mexias mais um bocadinho e sei que sendo capitão tens que mandar bitaites ao árbitro mas sem exageros, ok?

Já havia esquecido as vovouzelas e obviamente isso tinha um motivo sólido para cair do esquecimento.

O Paulinho da risca ao meio sossegadinho, algo que pensei nunca ver mas até estou a gostar da tranquilidade.

Vamos lá à segunda parte e acelerem ligeiramente vá! O público até está a ajudar. E queria mesmo dizer a piada de comer a macedónia ao jantar. 

Força!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Motivações



Uma das formas que utilizo para me motivar é o questionamento ao que faço por parte dos outros. Utilizo a altivez e até o desdém dos outros para me tornar melhor.

No ténis, fiquei surpreendida com a capacidade de concentração e abstracção do ambiente envolvente que possuo quando passei a ter na turma alguém que suporto só com muito controlo de espírito.

Fui confrontada mesmo que cordialmente no meu trabalho por alguém alheio, que não me conhece minimamente, nem aos meus métodos. Fui impelida para ir procurar, estudar mais…

Pode não ser a motivação mais correta mas o certo é que funciono bem aquando de um reforço negativo. Pode não ser o melhor para o ego pois muitas vezes são debatidas as nossas qualidades e defeitos. Mas, quando há uns tempos havia rancor envolvido, cada vez mais, agora, o faço sem ressentimentos.

No final utilizo as fraquezas infligidas para as tornar em atributos reconhecidos.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Light



Ultimamente tenho ouvido muita música teen.

Se calhar ando assim: com alma adolescente, sem a atormentação, com espírito livre, de alma fresca.


sábado, 19 de maio de 2012

Culpa


“A culpa é apenas a forma do teu ego te levar a pensar que estás a fazer progressos morais”.
Elizabeth Gilbert in “Comer, Orar, Amar”



A parte da Índia e do Orar está-me a custar a passar. Acho-a parada em relação à da Comer/Itália.

Talvez apesar de estar muito mais introspectiva ainda não tenha atingido o estado ideal para que me toque profundamente. 

Talvez porque agora dou mais valor à procura do prazer do que da devoção.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Ocupados



Somos um grupo de cinco.

Todos adultos, com diferentes profissões, afazeres, horários.

Temos que nos encontrar para marcar novos ensaios. Das tarefas mais difíceis.


A SD anda nos preparativos do seu casamento.
O M. trabalha todos os dias até às 20h, sábados até às 18h.
Ao T. estão sempre a surgir actividades desconhecidas.
A C. além dos turnos está metida em tudo o que se possa imaginar.
Eu tenho as viagens a trabalho.


E se uns fazem um esforço para que aconteça, para outros é apenas secundário. 

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Chamar a Música



Tenho saudades de ir a um concerto, de preferência ao ar livre, e no meio da multidão cantar, saltar, e sentir aquele arrepio.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Tee



Hoje foi o primeiro dia deste ano que vesti manga curta. Nem levei o casaquinho de reserva.

Houve alturas que me arrepiei, outras que estive super bem.

Sou imensamente friorenta mas agora estou lançada: Verão, here we go!

domingo, 13 de maio de 2012

Pessoas Inconvenientes



O marido de uma prima minha é uma pessoa com o feitio um tanto estranho (acho que todos os maridos das minhas primas são assim, a puxar para o estranho). Tenta ao máximo fazer conversa de circunstância e esta pode tornar-se muito despropositada.

Todas as vezes que me vê, quer seja todas as semanas ou passados anos, pergunta sempre o mesmo e faz sempre os mesmos comentários. De acrescentar que nunca lhe dei muita confiança e sempre fiz questão de manter uma distância de segurança porque ele é do tipo que abusa da sorte.

Ele: - Estás boa?
Eu: - Sim, tudo bem contigo também? (Já com aquele ar de posso me pisgar?)
Ele: - Então estás a trabalhar? Em que sítio?
Eu: - Sim, no mesmo de há dois anos quando comecei a trabalhar. (Naquele, o mesmo de sempre)
Ele: - Ah muito bem, Sra. Dra. E estás a gostar?
Eu: (Só aceno com a cabeça a ver se arranjo uma escapatória porque já sei que vai ficar ainda mais incómodo).
Ele: - Então daqui a dois anos é casar, não é?
Eu: - (Sorriso bem amarelo e pisgo-me mesmo)!

(WTF!!! Já sabia. Todas as vezes é a mesma coisa. Agora só vai esperar que esteja mais pessoas à volta e repetir o mesmo vezes sem conta à espera de resposta. E não faço a menor ideia onde ele foi buscar aquilo dos 2 anos).

Et voilá!

Eu: - Sabes, hoje em dia já não se casa.


A ver se me escondo melhor da próxima vez. É que responder mesmo que torto a pessoas assim não dá gozo nenhum.