segunda-feira, 27 de maio de 2013

Universalidade


O meu facebook é bastante reservado e partilho pouco.

Tenho em consideração as pessoas que aceito como "amigos". Há muitos colegas de faculdade com falei pouco mas mesmo assim estão lá. Há contatos relacionados com trabalho. Há os verdadeiros amigos e família (excepto o mano que continua a não aceitar o meu pedido). Certo é que a aceitação depende do meu estado de espírito mas há certos padrões que não ultrapasso.

Já recebi pedidos de amizade de pessoas que conheço mas rejeitei porque simplesmente não quero intrometido o nariz delas.

Já fiz exatamente o contrário para não haver caras melindradas.

Já houve situações presenciais constrangedoras com alguém que está na rede.

Já recebi mensagens de um sul-americano com o mesmo sobrenome que eu a dizer que gostava que fossemos da mesma família. Não fui confirmar a árvore genealógica mas não preciso de juntar mais loucos à família que já passou da conta.

Amigos loucos de familiares loucos também já arriscaram, sem sucesso.

Grande parte dos pedidos são estrangeiros. Eu já sabia que os meus traços não revelam a minha nacionalidade mas mesmo assim a diversidade é imensa.

É engraçado reparar como as relações humanas mudaram com as redes sociais.

8 comentários:

  1. Torna-se por vezes uma gestão algo delicada. Recusei recentemente o pedido de um ex...achei que não fazia sentido nenhum!

    ResponderEliminar
  2. Também sou reservada no facebook, nunca partilho nada demasiado pessoal. Primeiro, precisamente por ser pessoal e de mais ninguém. Segundo, porque a informação pode espalhar-se de uma forma descontrolada e inconveniente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma forte razão para manter o anonimato no blogue.

      Eliminar
  3. O pior é quando as pessoas usam o facebook como entidade reguladora de amizades. Isso é assustador.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que no futuro seja ainda mais assustador porque se as nossas gerações sabem o que é viver sem redes sociais, as mais novas não e a "regulamentação" pode ser ainda mais cerrada.

      Eliminar
  4. Reconheço a ferramenta poderosa que se pode tornar o chat do facebook para manter contatos, principalmente agora que estou distante. Contudo, deixei de estar ativa em publicações, identificações e outros tantos "ões". Ando um pouco alérgica, fases.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem o chat utilizo muito.
      Confesso que cusco muito mais do que divulgo.

      Eliminar

Junta-te à conversa!