segunda-feira, 17 de junho de 2013

Verbal


Todas as minhas ações passam e repassam na minha cabeça.

Penso demasiado, sempre pensei. Tenho conseguido, nas coisas menos importantes, ser mais impulsiva. Mas as decisões são sempre demasiado ponderadas.

Só quando as verbalizo é que se tornam reais e consigo perceber a sua importância. Antes poderiam ser somente devaneios numa noite de insónias que se desvanecem junto com o amanhecer.

Mesmo assim, o que seria uma ótima revelação para a realidade torna-se assustador: há mais alguém que sabe como me sinto, não desvanecendo os medos que até à altura podiam ser fruto da imaginação.

6 comentários:

  1. Para algumas coisas sou muito impulsiva, mas quando chega a altura de tomar uma decisão mais séria, penso demasiado. Penso nos prós, nos contras, nos assim-assim... e depois de tomada a decisão, fico a pensar se fiz bem, se fiz mal, se assim assim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes que bem que apetecia desligar um bocadinho...

      Eliminar
  2. Sou tal e qual. Às vezes gostava de ser mais impulsiva. O meu problema é pensar demasiado. Tenho noção que por diversas vezes algo poderia ter sido diferente se não pensasse tanto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O segredo acho que está em começar a ser impulsiva em coisas mais pequenas e quase sem importância.
      Pode ser que lá cheguemos :)

      Eliminar
  3. Eu acho que é sempre melhor pensar demasiado do que ser impulsiva... Se bem que o ideal era encontrar um equilíbrio entre as duas coisas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O equilíbrio é aquilo que tanto procuramos mas é tão difícil de alcançar.

      Eliminar

Junta-te à conversa!