quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Divino


As igrejas desertas e em silêncio conseguem fazer-me sentir em paz.

Tenho a sensação que mesmo que o mundo desabe este será o último lugar a ruir. 

O tempo parece que congela. Juntamente com os pés no chão de pedra ou na madeira que range a cada passo.

Não sei se estará totalmente relacionado com a minha fé, que há muito não passa por frequentar igrejas regularmente. (Há dias que sinto falta de quando mantinha o ritual.)

Sempre que estou num lugar novo e passo por uma igreja aberta faço questão de parar. As que estão cheias de turistas não. 

Raios de sol acalmam-me ao entrar pelos vitrais ou pelas janelas brancas e ricocheteiam nos lustres e talha dourada num jogo de cores e embatem nas cornijas e damascos aveludados.

Mesmo não sabendo muito sobre a bíblia nem o nome dos santos que observam. 

Só eu e aquelas paredes. E toda aquela mística.

6 comentários:

  1. Não sou nada religiosa mas sem dúvida que entrar numa igreja (daquelas imponentes) é qualquer coisa de especial.

    ResponderEliminar
  2. Às vezes também preciso de parar, apreciar o silêncio ao meu redor e ouvir-me, encontrar-me e recompor-me. Devolve-me a paz que preciso para seguir em frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Independentemente do local há alturas que temos mesmo que parar e reencontrarmo-nos.

      Eliminar
  3. Sinto a mesma sensação, não teria escrito melhor, :)

    beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há lugares que, por alguma razão, são mágicos.

      Eliminar

Junta-te à conversa!